Após cobranças do SINPOL-TO, SINDEPOL/TO e SINDIPERITO, aplicações de vacinas serão ampliadas e forças de segurança pública vão entrar nos grupos prioritários de imunização

07/04/2021 07/04/2021 22:18 339 visualizações

O Lockdown da Segurança Pública, movimento nacional da Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol) que impulsionou a imunização dos Policiais de todo o Brasil, trouxe resultados significativos para o Tocantins. Após o ato e a garantia da vacinação, o Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Tocantins (SINPOL-TO), o Sindicato dos Delegados de Polícia do Tocantins (SINDEPOL/TO), o Sindicato dos Peritos Oficiais do Estado do Tocantins (SINDIPERITO)  obtiveram resposta favorável da Secretaria de Segurança Pública (SSP) com relação ao aumento urgente das aplicações da vacina em todo o Estado. 

Uma reunião entre o Secretário da pasta, Cristiano Sampaio, a Delegada-Geral, Raimunda Bezerra, o Secretário Estadual de Saúde, Edgar Tollini, e demais representantes das forças de segurança pública, na manhã desta quarta-feira, 07, garantiu que: o grupo deverá ser incluído no plano de imunização estadual como prioritário, onde serão disponibilizadas quantidades suficientes para imunizar inicialmente 50% do quantitativo que hoje soma cerca de 9 mil servidores efetivos da Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, Polícia Penal, Corpo de Bombeiros e Forças Armadas, segundo dados preliminares divulgados pela Secretaria de Saúde.  

Os órgãos responsáveis pelas forças de segurança pública já planejam um cronograma para a vacinação que deverá ser apresentado na próxima semana para a retomada de novas imunizações e dessa vez de forma considerável. 

A presidente do SINPOL-TO, Suzi Francisca, destaca o empenho dos Sindicatos na imunização dos Policiais Civis. “Não paramos um dia de lutar para conquistarmos a imunização dos Policiais Civis. Manifestamos pela vida daqueles que estão expostos e não pararam de trabalhar, então não é justo que com todo o nosso esforço uma mínima parcela seja vacinada. Não é nosso objetivo prejudicar os grupos já definidos como prioritários, somente queremos incluir o nosso, pois continuamos combatendo o crime e enfrentando um novo inimigo que não escolhe a vida de quem vai tirar, que é a Covid-19, perdemos muitos não podemos perder mais”, comenta Suzi. 

Policiais vacinados

Nesta terça-feira, 06, as primeiras doses foram aplicadas em Guaraí, o Policial Civil Robson Jacques Garcias esteve entre os primeiros vacinados, sendo os outros dois efetivos da Polícia Rodoviária Federal e Polícia Militar. 

Segundo ele, a vacinação é uma conquista, mas todos devem ser incluídos como prioritários. “Fiquei feliz por estar entre os imunizados, desde o início da pandemia nunca paramos, seguimos participando de várias operações e esperávamos que fôssemos inseridos como prioridade. Eu achei uma quantidade muito baixa nesta primeira aplicação, mas de qualquer forma foi um pontapé inicial”, disse Robson.

Paralisação pela vacinação 

Nos dias 17 e 22 de março, a Polícia Civil do Tocantins participou de dois atos do Lockdown da Segurança Pública onde reivindicaram também a vacinação dos profissionais. O movimento contou com a participação de várias entidades estaduais que juntas protestaram, entre elas: o SINPOL-TO, o SINDEPOL/TO, o SINDIPERITO, o Sindicato dos Guardas Municipais (SIGMEP-TO), o Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais do Tocantins (SINPRF-TO),a Associação dos Policiais Civis Papiloscopistas do Estado do Tocantins (ASPA), a Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), a Associação dos Agentes de Polícia (AGEPOL-TO), a Associação dos Policiais Civis do Estado do Tocantins (ASPOL-TO), o Sindicato dos Servidores da Polícia Federal do Tocantins (SINPEF), a Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF), o Sindicato dos Profissionais de Educação Física do Tocantins (SINPEF-TO), a Associação dos Agentes de Necrotomia do Estado do Tocantins (AANETO), o Sindicato dos Enfermeiros no Estado do Tocantins (SETO), a Associação dos Escrivães do Estado do Tocantins (AEPTO), a Associação de Mulheres Policiais do Tocantins (AMPTO), a Associação dos Policiais Civis Papiloscopistas do Estado do Tocantins, a Associação de Servidores Públicos em Defesa da Saúde Mental e da Cidadania (AME), a Federação Estadual das Associações Policiais Civis do Tocantins (FEAPOL-TO), o Sindicato dos Servidores do Tribunal de Contas do Estado do Tocantins (Sinstec) e o Sindicato dos Servidores Públicos no Estado do Tocantins (SISEPE-TO).

 

Texto: Ascom SINPOL-TO

Foto: Divulgação PRF