SINPOL-TO e Associações da Polícia Civil analisam Manual de Procedimentos divulgado pelo Governo do Estado

12/03/2019 12/03/2019 20:54 261 visualizações

A convite do presidente do SINPOL-TO, Ubiratan Rebello, reuniram-se na tarde desta terça-feira, 12, os presidentes das associações dos Agentes de Polícia, Agentes de Necrotomia, Escrivães de Polícia e Papiloscopistas, para discutirem acerca do Manual da Polícia Judiciária publicado na noite de ontem, 11, no Diário Oficial do Estado.

Após leitura e explanação dos pontos considerados conflitantes pela categoria, foi aberto espaço a cada um dos presentes para manifestação, restando o entendimento de que há necessidade de adequação em alguns pontos específicos do Manual de forma a dirimir dúvidas ou equívocos presentes.

Outro assunto amplamente discutido pelos presidentes foi o fato de que o Manual não contempla os cargos integrantes da base da Polícia Civil em sua totalidade, haja vista a ausência injustificada dos Papiloscopistas e Agentes de Necrotomia, que compõem a Instituição. “Ao excluir estes cargos do Manual, o Secretário de Segurança dicotomiza a Polícia Civil e desprestigia as funções exercidas pelos profissionais”, destacou o presidente do SINPOL-TO Ubiratan Rebello. 

O presidente da AANETO, Rosildo Mendes, disse que em nenhuma parte o Manual faz menção as requisições expedidas pelos Delegados de Polícia para as remoções de cadáveres, realizadas pelos Agentes de Necrotomia, e esta lacuna traz imensa insegurança ao serviço.

Os Papiloscopistas presentes corroboraram com a fala de ausência de procedimentos regulatórios para o exercício de suas atribuições, dita por Rosildo, e acrescentaram que os Papiloscopistas têm inúmeras atribuições que carecem de Solicitações ou Requisições expedidas pelos Delegados, e que não se fazem presentes no Manual.

Concluindo a reunião ficou definido que alguns pontos que estão sendo entendidos como divergentes serão discutidos diretamente com o secretário de Segurança Pública, Cristiano Sampaio, e com o Delegado Geral da Polícia Civil, Rossílio Correa, a quem os representantes buscarão essas alterações.

Participaram da reunião, além dos já mencionados, o diretor Magdiel Lindoso; Priscila Bittar da AEPTO; o vice-presidente da AANETO, Daniel Filipe; André Gomes, presidente da ASPA; Darlan Sousa da FEAPOL; e Tito Lustosa da FEIPOL-CON.