SINPOL-TO reúne-se com Secretário de Segurança e Delegado Geral da Polícia Civil

26/11/2018 26/11/2018 17:21 1287 visualizações

O presidente do SINPOL-TO, Ubiratan Rebello, e os diretores Darlan Sousa e Magdiel Lindoso estiveram reunidos na manhã desta segunda-feira, 26, com o secretário de Segurança Pública do Tocantins Héber Fidelis, onde abordaram os últimos anúncios acerca da gestão da Polícia Civil.

Na última sexta-feira, 23, os policiais civis foram surpreendidos pela imprensa local e redes sociais, dando conta de que em assembleia geral do sindicato dos Delegados de Polícia (SINDEPOL), estes haviam aprovado nomes para ocuparem a cúpula da SSP, com a anuência do secretário de Segurança Héber Fidelis, que inclusive esteve presente na assembleia.

Diante deste posicionamento unilateral do SINDEPOL, que destoa com o que as demais categorias de policiais civis desejam para o fortalecimento da Polícia Civil, o SINPOL-TO buscou junto ao Secretário, respostas sobre qual o real posicionamento do Governo em relação aos fatos.

Fidelis disse aos dirigentes do SINPOL-TO, que realmente esteve na Assembleia e que busca uma interação entre a categoria de Delegados de Polícia, o Governo e as demais categorias da Policia Civil. Afirmou que necessita reorganizar a pasta da Segurança Pública e que neste ponto precisa do apoio de todos os policiais civis, sem distinção de cargos, “a participação dos Agentes de Polícia, Agentes de Necrotomia, Escrivães, Papiloscopistas e Peritos Oficiais é fundamental para se construir uma Polícia Civil forte” disse o Secretário.

Ubiratan Rebello esclareceu a Fidelis que uma parcela avassaladora dos policiais civis não estão sendo ouvidos nas demandas da Secretaria, afirmando ainda que os cargos de Agente de Polícia, Agente de Necrotomia, Escrivão de Polícia, Papiloscopista e Peritos Oficiais, correspondem hoje a 89% de toda a Polícia Civil. Concluindo, trouxe o desabafo da categoria de base: “as Delegacias são compostas por Delegados, Agentes e Escrivães, que juntos conduzem as investigações para as apurações dos crimes e pela proteção da sociedade, não existe um cargo melhor que outro ou um cargo sem o outro, a união dos trabalhos destes cargos somados à área científica da Polícia Civil, formada pelos Papiloscopistas, Agentes de Necrotomia e Peritos Oficiais, formam uma instituição forte e valorizada”.

O Secretário ouviu atentamente os dirigentes do SINPOL-TO e afirmou que todos os cargos da Polícia Civil se farão ouvidos, e, que nenhuma alteração será realizada sem uma ampla discussão de todos.

O SINPOL-TO também se reuniu com o indicado ao cargo de Delegado Geral da Polícia Civil, Rossílio Sousa Correia, que ratificou as palavras de Héber Fidelis, em especial quanto à participação da base nas decisões da pasta, e lembrou, “entrei na Polícia Civil como Agente de Polícia, hoje sou Delegado, não esqueço meus dias de base”, esta afirmação foi entendida pelos representantes como uma assertiva da gestão para os projetos das categorias de base da Polícia Civil.